20 fevereiro 2008

Aquele lá / Aquela lá

Saiu de casa na terça feira, para vê-lo. Decidiu que não ia mais absorver toda aquela informação mal contida no poros da pele, e ia despejar tudo em cima dele. Usou a blusa branca com detalhe de flor no ombro esquerdo - mas ainda dava pra notar o roxo deixado pelo tombo na escada, ontem à noite. Foi abrindo a porta conferindo a bolsa a alça do sutiã no lugar os sapatos com as pontas descascadas o brinco numa orelha só e os cartões. Guardou o endereço escrito às pressas num pedaço de papel deveras usado, que ficava em cima da mesinha do telefone. Sem fio. Nunca entendera porque o telefone sem fio era membro permanente de uma mesinha no canto do corredor. Tinha pressa. Girou a maçaneta, o porteiro logo deu bom dia e ela pensou bom dia só se for pra você seu tarado filhodaputa pensa que não te vi olhando pra minha bunda quando caí dessa escada e você nem pra vir me trazer um alento uma palavra do tipo se machucou senhora, não, nada, só olhava e abria de canto a boca como que fosse babar em cima da droga da minha bunda batida. Entrou no táxi, Av São Clemente número 602 por favor o mais rápido que o senhor puder, porque a gente já perde tudo nessa vida pra perder também tempo né meu senhor, o senhor entende, quê, ah sim, é lá mesmo, o senhor já levou muita gente nesse lugar então, pois é vai ser a primeira vez que ponho os pés lá, sabe como é né, nervosismo instantâneo que vai tomando conta do corpo da gente, enquanto que aquele lá, ah, aquele lá não deve nem saber o que é ficar nervoso, descarado, filho-da-mãe-imbecil, bem que a minha amiga sempre me falava, olha esse aí não me parece boa pinta nem por dentro, toma cuidado que desse tipo eu já expert. e eu nem dei bola até briguei com ela umas 6 vezes por falar mal dele pra mim e eu boba toda erradona que ficava por estar com ele, nao me convencia e agora que a gente tá se reaproximando, que, não, não eu e ele, eu e ela, sim minha amiga, a gente tá se reaproximando graças-a-deus o senhor não sabe como é ruim perder tudo nessa vida, ontem mesmo caí ao subir um degrau e me machuquei bem aqui ó, consegue ver pelo retrovisor, aqui no ombro, uma mancha horrível que ficou, toda roxa, dizem que depois fica verde, não sei qual é pior, tomara que fique só roxa e no máximo escureça pra eu tentar fingir que é uma mancha de pele mesmo, não aguento ficar dando tanta explicação assim do porque-você-tá-com-essa-cara-de-morte-Silvia, porque-você-e-seu-marido-nunca-mais-apareceram-aqui-em-casa-pra-beber-uns-drinks-conosco-hein, ah aquela vadia, ainda por cima tinha coragem de me perguntar uma coisa dessas, como se eu não percebesse as jogadas de cabelo que ela dava pra cima do Raul, sempre que ele sentava no canto do sofá que ela sentava pra fumar aquele cigarro com cheiro de cravo ou sei lá o que é aquilo, mas atirada que só vendo, o senhor nem imagina o que eu tive que passar e aguentar no seco porque nem sou de beber sabe, um golinho aqui e ali de vez em quando mas nada que me faça tropeçar nos calcanhares quando voltar pra casa, e isso me faz lembrar dele de novo, aquele cretino sem vergonha que chegava se contorcendo em casa todo fedendo à bebida barata e perfume de mulher de esquina daquelas que na primeira volta da bolsinha já tem um zilhão de homens gordos suados que acabaram de comer um boi e agora vão comer a vaca também. caramba eu não imaginava que era tão longe assim, o senhor veja bem, eu lhe disse que é minha primeira vez, lá, não é, então queria causar uma boa impressão, se bem que não sei direito como funcionam essas coisas, acho que a gente abre a boca e fala fala fala o que vem na cabeça tudo de uma vez né, ah o senhor nunca fez isso antes, entendo. é, vou ver o que ele vai me dizer, o senhor por favor apresse um pouco a nossa corrida, é que.

3 comentários:

Laurídica disse...

fiquei zonza...
mas gostei da corrida!

alice disse...

espero que ela esteja indo pro analista!

Carla Arend disse...

fiquei ofegante!