21 julho 2009

Tudo ou nada

Tudo venta. Os dias passam. Seremos diferentes amanhã, não tenha pressa. Olhe para o céu, invente-me um poema. Me ame agora. Atiro no escuro. Coração.
Perdão antecipado, carona pra casa. Sou coroa, sabida. Invada minhas entranhas. Me doe o seu cheiro, seja flor. Sue minhas roupas. Esconda seus delírios. Levante suas cobertas, procure embaixo da cama. Tenha um plano em mente. Invente a nossa vida. Cale meu olhar. Leia em meu corpo. Assopre aquela melodia. Estamos sós. Prolongue-se mais. Passarei.
.
.
Sou ventania.

5 comentários:

Jessica G. disse...

Me emociono com as coisas que tu escreve! Lindas e intensas! Adorei
;*

Gabriela Oliveira disse...

Passará sim, mas não em branco. Sempre transbordando intensidade e cintilância.

Karine disse...

choquei.
muito bom.

alice disse...

como anda ventando, né?

Caracoles disse...

vô baforá merrmo! cintila, tu realmente don't need a weatherman to know which way the wind blows.