17 novembro 2009

Pluma

vou indo a pé. muitas escalas e nenhuma certeza de chegada.
talvez eu acostume, com o tempo, que não há possibilidade de viver da
forma que planejamos. ou talvez eu descubra, numa dessas, que o ato de planejar
já é por si só, toda a nossa vida resumida em atos; a gente que vive
sem saber que sempre haverá o que fazer de si mesmo. eu pas(sei). mas o que
sei é pouco, ainda. vá por mim: não há melhor caminho a seguir do que
aquele que sempre nos faz voltar ao ponto de partida.

Um comentário:

Carolina. disse...

seráááá? ah, ñ concordo, dessa vez! odeio voltar ao ponto de partida... :P